Home / Comportamento / Arquitetura com Estilo / Sustentabilidade e o Design de Interiores

Sustentabilidade e o Design de Interiores

Vivemos hoje numa realidade em que não se pode deixar de pensar em sustentabilidade. Seja em qualquer área de atuação, nós temos como dever cuidar dos recursos naturais e da manutenção do planeta. Vemos constantemente os diversos problemas que estamos gerando com a negligência quanto ao uso de recursos e consequentemente a preocupação de muitos com o futuro, visto que o presente já está debilitado. Tendo em vista essa preocupação, que não podemos ignorar e seguir sem agir, vamos passar para vocês nessa matéria algumas ações importantes que devemos pôr em prática para minimizar os danos.

A sustentabilidade vem sendo aplicada nos projetos e construção de novos edifícios, tornando-os edifícios verdes por terem captação da água da chuva, utilizarem energia da captação por placas solares, utilizarem de paisagismo nas fachadas, nos tetos, nos arredores do edifício, terem cuidados com resíduos e desperdício desde o momento da construção, etc. Mas não podemos esquecer que é muito importante pensar a sustentabilidade para o design de interiores, seja aplicado aos novos edifícios sustentáveis ou aos mais antigos, mostrando que podemos pensar a sustentabilidade independente da estrutura que temos.

Quando pensamos em sustentabilidade em design de interiores logo vem em mente o reaproveitamento e reutilização de móveis. E sim, esse é um dos itens a se pensar, mas não é só isso! Então vamos às dicas!

Eficiência energética

É muito importante atentar para o selo Procel dos equipamentos a serem adquiridos, e iniciar desde aí o controle sobre o uso dos equipamentos, e quais os mais eficientes e econômicos. Assim como ter a preocupação com o uso da luz natural e ventilação natural (veja nossas matérias anteriores sobre o uso de brises e cobogós), pensar o layout (disposição dos móveis) de modo que a incidência solar seja utilizada a favor da funcionalidade do ambiente, e que não obrigue o usuário a fechar tudo e ligar um ar condicionado e acender a luz artificial de dia.

Untitled-1O uso do cobogó (imagem 1) e do brise (imagem 2) para reduzir a incidência do sol na edificação. Mas apenas reduzir, e não bloquear. Fonte: imagens retiradas da internet.

Devemos pensar no tipo de lâmpada que temos ou que vamos especificar para uma casa, e fazer a substituição imediata para lâmpadas com gasto de energia reduzido, como a lâmpada de LED, que está cada vez mais acessível no mercado.

Procurar utilizar materiais com propriedades térmicas e acústicas, como por exemplo a manta de cortiça que pode ser aplicada entre paredes ou até mesmo como revestimento final, como solução para ambientes que recebem uma intensa incidência solar.

Untitled-2Uso da manta de cortiça entre paredes devido às suas propriedades térmica e acústica. Fonte: imagem retirada da internet.

Untitled-3Uso da manta de cortiça na parede como revestimento final. Fonte: imagem da internet.

Economia de água

Hoje já existem inúmeras opções de itens para sanitários, cozinha, área de serviço, etc. que visam a economia no gasto de água, como por exemplo as torneiras com temporizador, que controlam a saída de água e a interrompem após um momento, as bacias sanitárias com duplo acionamento para uma descarga mais forte ou mais fraca. É muito importante estarmos atentos às empresas que mostram preocupação e responsabilidade ambiental e buscam desenvolver sistemas que demandem menos água para seu funcionamento, assim como formas de produção de produtos mais sustentável.

Buscar o reaproveitamento de água da chuva para descarga ou irrigação de jardim também é uma boa opção.

Untitled-4Exemplos de torneira com temporizador. A primeira tem sensor de presença que aciona a torneira ao posicionar a mão embaixo da saída de água e a segunda é acionada ao apertar o topo da torneira. Fonte: imagens retiradas da internet.

Materiais de baixo impacto

O que escolhemos para nossa casa, pode sim estar impactando mais ou menos na natureza, por isso devemos ter o cuidado em comprar produtos em lojas ou fábricas ou com fornecedores que tenham responsabilidade ambiental. Isso significa comprar madeira de reflorestamento ou certificada, madeira de demolição, escolher revestimentos que sejam de materiais certificados ou renováveis, optar por fibras naturais, materiais feitos com produtos totalmente reciclados, madeiras plásticas 100% recicláveis, quartzo stone, utilizar tinta à base de água. Encontramos no mercado uma grande diversidade de produtos que agridem menos e extraem menos da natureza.

Untitled-5O piso vinílico é feito com PVC reciclado. De fácil instalação, esse modelo tipo click permite o reaproveitamento do material em outro local, em caso de mudança por exemplo. Para instalá-lo não é necessário cola, apenas a montagem. Fonte: imagem retirada da internet.

Untitled-6Pedra de Quartzo é uma pedra 100% industrializada, não é retirada diretamente da natureza e portanto contribui menos para a exploração da natureza. É uma pedra altamente resistente e dura. Fonte: imagem retirada da internet.

Untitled-7Móveis, portas, painéis podem ser feitos em madeira de demolição e o resultado fica lindo e muito original! Fonte: imagem retirada da internet. 

Durabilidade, qualidade e aproveitamento otimizado

Quando optamos por um material, devemos levar em conta a durabilidade do produto. É importante ter o cuidado com o que adquirimos, pois nem sempre o mais barato é o mais interessante, o importante é estar atento à qualidade do produto, para saber se a durabilidade dele condiz com a sua expectativa, pois isso pode significar uma substituição a curto prazo e mais material desperdiçado. Isso não se aplica aos materiais que são totalmente recicláveis e quando nos preocupamos em fazer com que esse material seja direcionado para o local correto, afim de que todo o processo de reciclagem seja executado.

Além da durabilidade e consequentemente qualidade, temos que nos preocupar com o material adequado a cada projeto para que o aproveitamento seja o melhor possível, com menos perda e consequentemente menos resíduos gerados.

Reaproveitamento e reuso

Reaproveitar materiais e transformá-los significa reduzir desperdício e o descarte de resíduos. Dessa prática podem sair ideias super interessantes! Basta deixar a criatividade assumir o comando, pesquisar ideias na internet e colocar as mãos à obra. Fora que é recompensador criar algo, obter um resultado legal e ter isso em sua casa para te encher de orgulho e de mais ânimo para fazer mais coisas.

Untitled-8O palete sendo utilizado como mesa de centro. Fonte: imagem retirada da internet.

Untitled-9Um pneu sendo utilizado como pufe ou mesa de centro após uma customização feita com corda. Fonte: imagem retirada da internet. 

Vamos pensar mais sobre esse assunto! Cada um fazendo um pouco, já significa muito! Vamos nos educar para ficarmos mais atentos ao que consumimos, como consumimos, como estão nossas contas de água e energia, o que dá para economizar e como fazer isso!

Sobre Arquitetura com Estilo

Author Image
Ana Carolina Moreira é arquiteta e urbanista, graduada pela UFBA – Universidade Federal da Bahia em 2012, pós-graduada pela FGV – Fundação Getúlio Vargas no MBA de Gerenciamento de Projetos em 2016 e participou do curso de iluminação ministrado pela OSRAM em Osasco-SP em 2012. Carla Z. Carmel é arquiteta e urbanista, graduada pela UFBA – Universidade Federal da Bahia em 2011, pós-graduada pela FGV – Fundação Getúlio Vargas no MBA de Gerenciamento de Projetos em 2016 e participou do curso de iluminação ministrado pela OSRAM em Osasco-SP em 2012. Fundaram o AC Arquitetura em 2013 e desde então desenvolvem diversos projetos arquitetônicos e de interiores e trabalham também com consultoria. Atuam no nicho de arquitetura residencial, comercial e corporativa.

Um comentário

  1. Author Image

    Excelentes orientações para preservação do meio ambiente. Sugestões práticas, que não encarecem projetos e design de interiores mantendo a elegância e praticidade no ambiente. Parabéns pela matéria AC Arquitetura.

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*