Home / Comportamento / Você tem medo de que?

Você tem medo de que?

“Não me deixe só, eu tenho medo do escuro. Eu tenho medo do inseguro, dos fantasmas da minha voz…”  

Vanessa da Matta                                                                                                                                  

 

A letra da música “Não me deixe só”, da Vanessa da Mata, tem tudo a ver com o tema dessa semana: o medo. Na verdade, venho pensando nesse tema há algum tempo, a partir da minha prática como Coach.

Sim, todas as pessoas têm medo. Medo do escuro, do inseguro, de morrer, de não vivenciarem um grande amor, de envelhecerem, de não serem boas o suficiente para algo, de não estarem preparadas para algo, de não terem dinheiro para pagar as contas, dos filhos ou pais ficarem doentes, de avião, de carro, de não se realizarem profissionalmente, de falar em público, de não serem aceitos socialmente, de não conseguirem perdoar, de não terem saúde, etc. A lista de medos é interminável.

Todos nós sabemos que o medo tem um papel importante: a proteção. Sentimos medo porque queremos nos proteger, proteger pessoas, situações e momentos, mas existe uma linha tênue entre o medo que protege e o medo que paralisa.

O medo que protege existe para nos mostrar que temos muitas coisas e pessoas importantes nas nossas vidas, mas e o medo que paralisa?! Ah, esse vem pra atrapalhar os nossos projetos, diminuir a nossa autoestima, fazer com que a gente se compare com os outros e que a gente se diminua de alguma forma.

Esse medo que paralisa não considera a nossa individualidade, o nosso propósito de vida, as inúmeras possibilidades que temos de realizar qualquer coisa, a qualquer tempo, a dinâmica do Universo e o nosso processo evolutivo. E quanto mais pessoas sentem medo, mais estamos contribuindo para uma cultura do medo.

E porque raios a gente dá tanto valor pra ele?! A minha teoria é a de que isso acontece porque ainda não aprendemos a nos alinhar à abundância do Universo. E como ainda não aprendemos, vivemos na escassez.

Quero hoje te propor um exercício e um desafio para mudar essa cultura. O exercício é bem simples. Pegue uma folha de papel e anote todos os seus medos (Não precisa ter medo de fazer o exercício porque só você terá acesso a essa folha), todos mesmo!!! Depois de anotar todos os medos que lembrar, pergunte-se: como seria hoje a minha vida se eu não tivesse esses medos (aqui passe por cada medo, um a um ok?)?.

Coloque uma frase específica. Por exemplo: Tenho medo de não conseguir trabalhar com o que amo. Como seria a minha vida se eu não tivesse medo de trabalhar com o que amo? Seria mais fluida, mais criativa, mais leve e até mais abundante, porque trabalhando com o que eu amo tenho mais chance de ganhar dinheiro.

Faça isso com cada medo identificado por você. A segunda parte é um desafio. Eu te desafio a escolher 5 (cinco) desses medos da sua lista e, por 21 (vinte e um) dias desafiá-los positivamente. Topa?!

Isso quer dizer que, se você tem medo de falar em público, que nesses 21 (vinte e um) dias você vai procurar espaços para falar em público. Não precisa ser uma palestra, mas algo que já te desafie, que te tire da zona de conforto (vale cantar no karaokê na reunião da família, rs).

Durante esse desafio eu te digo: você sentirá medo de não ter medo. E tudo bem. Por 21 (vinte e um) dias você vai fingir que não dá a mínima para esses medos e que é uma pessoa que tem uma fé inabalável, que acredita que tudo tem um por que e que a vida acontece para você e não contra você. Você vai se desafiar a cofiar na abundância do Universo e a encontrar feedbacks positivos em tudo ao seu redor. Depois desse período, avalie como se sentiu e como foi a sua experiência. Esse exercício tem um ensinamento importante. Você vai fingir que não tem medo até que isso se torne verdade.

Ter medo é humano, mas viver com medo é uma escolha.

Que tipo de pessoa, profissional, ser humano e coisas você pode ser e construir na sua vida e no mundo sem os seus medos? Acredite, o Universo é abundante e você é parte dele.

A abundância não é algo que adquirimos, é algo que sintonizamos.

Sintonize-se.

Sobre Juliana Caribé

Author Image
Soul+ Coaching e Desenvolvimento Humano

Um comentário

  1. Author Image

    Muito bom o texto. Vai ser de grande ajuda para muitas pessoas. Parabéns!!

Deixe um Comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*